Alergia ao calor e ao sol

Alergia ao calor e ao sol
Rate this post

O que fazer quando o que te causa alergia é o sol? Como tratar e como se afastar dele?

Se expor ao sol sem proteção nos horários não recomendados, ficamos com grande possibilidade de ter uma queimadura ou até um câncer de pele. Mas você ter alergia causada pela luz solar é complicado, principalmente, pelo fato da luz solar, proporcionar a síntese da vitamina D e produzir hormônios que ajudam o nosso corpo a funcionar melhor.

Existem pessoas que ficam com a pele cheia de alergia e irritação. Esses sintomas são a reação do sistema imunológico do nosso organismo quando está exposto ao sol. Ainda, não foi encontrada a causa para essa alergia.

A alergia ao sol e ao calor, também são conhecidas como erupção cutânea fotoalérgica ou fotoalergia. Ela pode acontecer com pessoas de qualquer idade, porém ocorrem mais bebês, crianças, idosos e pessoas estão acamadas.

Sintomas

Os sintomas aparecem mais nas partes do corpo que ficam mais expostas como os braços, mãos, no colo e rosto:

Vermelhidão na pele exposta ao sol e nas regiões onde mais se transpira.

Coceira pelo corpo.

Sensação de que a pele está queimando.

O Aparecimento bolinhas brancas ou avermelhadas.

Aparecimento de bolhas com líquido transparente.

Formação de crostas nos locais das bolinhas.

As áreas mais afetadas são o pescoço e as axilas.

Sintomas classificados de forma mais específica

Erupção na pele fotoalérgica:É a manifestação mais comum e que ocorre mais em mulheres que estão na faixa entre 20 e 35 anos. Com erupções vermelhas menores junto de um prurido intenso.

Erupção polimorfa:É menos frequente e afeta tanto mulheres quanto homens. Aparecem vesículas com manchas vermelhas com coceira no pescoço, rosto, membros e atrás da orelha.

Urticária causada pelo sol:Acontece após poucos minutos de exposição ao sol, criando placas rosas sobre a pele e atinge todo o corpo. Ela vai dá mucosa respiratória até a garganta, podendo acontecer um sufocamento.

Fotossensibilização:Aparecem erupções cutâneas ou vesículas avermelhadas que possuem prurido, causada pelo contato da pele com agentes fotossensibilizadores, sejam medicamentos, plantas medicinais ou cosméticos.

Causas

Fatores genéticos.

Certos medicamentos contra a diabetes, hipertensão, epilepsia, depressão e para alguns tipos de câncer.

Antibióticos.

Fragrâncias.

Produtos químicos utilizados nos protetores solares.

Tetraciclina.

Drogas a base de sulfa.

Possuir dermatite.

Leites para a pele, loções ou cremes com ou sem perfume.

O mesmo vale para alguns medicamentos

Plantas como a erva de São João, aipo, limão, suco de figo e Branca ursina.

Tipos de alergias ao sol

A alergia ao sol é dividida em dois tipos: a exógena e a endógena.

Alergia exógena

Acontece com contato de certas substâncias na pele e que, quando a pele é exposta à luz solar, causa as reações alérgicas. Os maiores causadores são certos cosméticos, o pólen de flores, produtos de limpeza, alguns medicamentos, tipos de legumes com fototóxica ksantinola.

Alergia endógena

Ela está relacionada com doenças metabólicas, criando uma imunodeficiência, causadas por acumulação de porfirinas na pele, problemas na melanina, mau funcionamento do sistema imunológico.

Alergia em bebês

Quando seu bebê apresenta os sintomas de alergia ao sol, o melhor é buscar ajuda de um pediatra. Assim, você pode saber qual é a melhor forma de cuidar e tratar.

Porém, existem coisas que podem ser feitas em casa que irão aliviar os sintomas no bebê:

Colocar uma roupa bem fresquinha no bebê para ajudar a pele a respirar.

Mantenha a casa bem arejada.

Mantenha o pescoço do bebê limpo, através de fraldas macias, limpas para ajudar diminuir brotoejas e irritação.

Usar talco para manter a pele seca, se o bebê continuar transpirando, dê vários banhos por dia no bebê, só com água.

Usar chá de camomila, em temperatura ambiente, como compressa, aliviando a pele.

Você pode evitar

Na maioria dos casos, a melhor maneira é evitar o contato direto com o sol. O uso do protetor solar todos os dias é o melhor jeito paraproteger da alergia do calor e do sol.

Não fique sob sol por muito tempo.

Caminhe por lugares que tenham mais sombra.

Fique longe do sol nas horas de maior calor, pois os raios solares são mais fortes.

Use roupas que possam te proteger dos raios solares.

Use boné ou chapéu para proteger o rosto e a cabeça.

Use óculos escuros.

Como saber se tenho alergia ao sol?

Os sintomas da alergia ao sol podem desaparecer sozinhos, isso faz com que as pessoas não se preocupem em ir a um especialista e saber o porquê.

É importante fazer uma consulta médica nesses casos, porque só, assim, será possível diagnosticar, se é uma alergia grave ou não. Em reações alérgicas aos raios UV, deve se consultar com um dermatologista.

O diagnóstico pode ser feito com uma análise clínica e perguntas, sobre quando e como os sintomas começaram.

Se não acontecer um diagnóstico totalmente esclarecido, é possível fazer testes que ajudem no diagnóstico final como: teste de luz ultravioleta, teste sobre manchas causadas pela luz solar, exames de sangue, análise de amostras da pele.

Medicação

O tratamento, geralmente, é feito com remédios anti-histamínicos ou corticoides, que ajudam a aliviar os sintomas da alergia. Mas é preciso buscar um dermatologista para indicar e orientar como deve ser o tratamento e que remédios usar em cada caso.

A medicação que possui corticóides deve ser usada em poucas quantidades e aplicando uma fina camada por um período de tempo, indicado pelo dermatologista, para não danificar a pele.

Se houver muita coceira e vermelhidão, o médico pode prescrever a utilização de pomadas, loções ou cremes anti-histamínicos e fototerapia.

O uso de alguns suplementos como os dietéticos como o betacaroteno, junto com Selênio, vitaminas E e C, cálcio ou ômega-3 para fortalecer o sistema imunológico do organismo, criando a possibilidade para a pele se autoproteger.

Obs.: Lembre-se de hidratar bem a pele através de cremes com babosa ou calamina, que possuem ação calmante, tomar banhos frios, beber muita água.

Não se automedique ou interrompa o uso de medicamentos sem consultar um médico.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Leave a Reply