Remédios que cortam o efeito de anticoncepcional

Remédios que cortam o efeito de anticoncepcional
Rate this post

 

Os anticoncepcionais podem deixar de ter efeito de acordo com o que ingerimos, por isso, antes de começar qualquer tratamento, é importante perguntar ao médico os efeitos que pode ter.

Métodos anticoncepcionais

Existem vários métodos anticoncepcionais para evitar uma gravidez indesejada, mas é só a caminha que possui o poder de evitar a gravidez e proteger das DSTs. Na hora de escolher o melhor método, é importante consultar o ginecologista a opção mais adequada

Implantes anticoncepcionais: ajudam a prevenir a gravidez com um pequeno tubo introduzido no braço, por baixo da pele, que libera hormônios que impedem a ovulação.

Ele pode ficar até 3 anos no corpo de uma mulher, sendo colocado e removido só pelo ginecologista.

DIU: é um tipo de plástico em forma de T introduzido no útero pelo ginecologista, podendo permanecer por 5 anos. Ele não traz incômodos e dificulta a fecundação.

Diafragma: é feito de borracha e se parece com um anel que impede o fluxo dos espermatozoides, evitando, assim, a fecundação do óvulo. Você pode ser usar várias vezes por 2 anos.

Anel: ele é feito de borracha, sendo colocado na vagina pela mulher e é como colocar um absorvente interno. Ele pode ser usado por até 3 semanas, depois é importante tirar e parar por 7 dias para que a menstruação possa vir.

Injeção: a aplicação pela injeção anticoncepcional é feita no músculo do braço ou perna em 1 vez por mês ou de 3 em 3 meses. Ela libera hormônios para não haver ovulação, não é indicada para usar em período prolongado, atrasando a fertilidade, aumentando o apetite e o peso, dores de cabeça, acne e queda de cabelo.

É a melhor método para mulheres com doença mental, tuberculose ou epilepsia que não podem tomar pílulas ou têm infecções vaginais.

Pílulas anticoncepcionais

As pílulas anticoncepcionais devem ser usadas continuamente pelas mulheres que não desejam engravidar. O uso é durante 21 dias no mês. O problema é que em determinado momento a mulher precisa de tomar algum remédio para tratar uma enfermidade e esse medicamento pode atrapalhar o efeito do anticoncepcional ou cortá-lo.

Vantagens: Ajuda a prevenir a gravidez, diminui sintomas de TPM, reduz o fluxo menstrual e a dor, regula o ciclo menstrual, melhora a acne e o excesso de pelo, e ajuda a evitar doenças como cistos ou câncer do ovário;

Desvantagens:É preciso tomar um comprimido todos os dias e na mesma hora, sem esquecer.

Efeitos colaterais: Náuseas, dor nos seios, perdas de sangue fora do ciclo da menstruação, diminuição de sangue e depressão.

Leia com atenção

Remédios que cortam o efeito de anticoncepcional

A combinação de pílulas anticoncepcionais com certos medicamentos pode diminuir ou acabar com a função de prevenir uma gravidez. Quando for começar com qualquer tratamento médico, a mulher deve procurar orientação sobre possíveis gravidez.

Doenças digestivas

Mulheres que estão com alguma doença inflamatória e fizeram uma ileostomia ou um bypass jejunoileal, correm grandes chances de engravidarem mesmo com a pílula. Isso acontece, devido a possibilidade de o intestino não conseguir absorver os hormônios encontrados nas pílulas. Isso aumenta as chances de uma gravidez indesejada.

Para essa situação, é melhor usar outro método, como camisinha, DIU, etc.

Medicação

Certos remédios que impedem convulsões e a maioria dos antibióticos cortam os efeitos dos anticoncepcionais. O recomendado é o uso de camisinha até o 7º dia após o tratamento.

Não são só as pílulas que são afetadas, tanto os injetáveis o injetável quanto os adesivos, podem perder os efeitos. Por isso, se você estiver doente é melhor procurar um médico e se orientar.

Antibióticos como Amoxacilina, Ampicilina, Ciclacilina, Cloranfenicol, Dapsona, Doxicilina, Eritromicina, Metronidazol, Oxacilina, Azitromicina, Ampicilina, Nitrofurantoína, Amoxicilina, Claritromicina, Griseofulvina, Metronidazol, Ciprofloxacino, Penicilina, Tetraciclina, Cefazolina, Levofloxacino, Cefalexina, Clindamicina, Dapsona, Eritromicina, Rifampicina, Rifabutina Isoniazida, Fosfomicina, Trimetoprim-sulfametoxazol, precisam de um aval de um médico antes de serem usados para tratamentos. Isso é importante, pois eles mudam a capacidade de absorção do intestino, criando dificuldades.

O antifúngico Griseofulvina corta o efeito dos anticoncepcionais, sendo necessária a camisinha. O mesmo vale para o diurético Espironolactona.

Alguns antirretrovirais, como Ritonavir, Nelfinavir, Efavirenz, Nevirapina, Nelfinavir e Ritonavir, também, não fazem uma boa combinação com os anticoncepcionais. Um tratamento for por um longo período precisa do uso de camisinha e DIU.

Vômitos e diarreia

Vomitar ou ter diarreia durante as 4 horas, após de tomar a pílula, pode tornar nula a absorção dos hormônios das pílulas. Se isso acontecer,

Tome outra pílula para garantir que a quantidade de hormônios necessários para evitar uma gravidez.

Bebidas alcoólicas

As mulheres que consomem bebidas alcoólicas em excesso, podem se esquecer de tomar a pílula na hora certa.

Esquecer da pílula

Se você esquecer de tomar a pílula, mesmo que apenas um dia, atrapalha o ciclo da ovulação. Isso, também, acontece com mulheres que não tomam seu anticoncepcional na hora certa durante todos os dias.

Chás

Tomar uma grande quantidade de chá diuréticos, após tomar a pílula, pode tirar a eficiência dos hormônios. O consumo de muito liquido traz uma grande vontade de fazer xixi, se isso acontecer, haverá a possibilidade de o medicamento ser eliminado do corpo sem ser absorvido.

Em relação ao poder do próprio chá, só o da Erva de São João tem uma comprovação cientifica de diminuição do hormônio estradiol dos anticoncepcionais.

Depressão

Antiepiléticos, anticonvulsionantes, chás e outros remédios para ansiedade ou depressão podem atrapalhar a ação da pílula. Quem precisa desse tipo de tratamento não devem escolher a pílula para evitar a gravidez.

Os anticonvulsionantes Fenobarbital, Primidona, Topiramato, Carbamazepina, Fenitoína, Hidantoína, Primidona, Fenobarbital, Oxcarbazepina, atrapalham os hormônios dos anticoncepcionais. E os barbitúricos Fenobarbital, Tiopental, Pentobarbital, Tiamilal, Barbital.

Drogas ilícitas

Drogas ilícitas não são a causa direta para a ineficácia da pílula. O risco consiste em esquecer de toma-la.

Os anabolizantes, também, podem cortar o efeito, porque são hormônios, que podem interferir na absorção dos hormônios, anulando o seu efeito.

Medicações que não cortam o efeito

Os remédios que não alteram o funcionamento dos anticoncepcionais: Dipirona, Paracetamol, Ibuprofeno, Diprospan, Decadron, Profenid, Aciclovir, Valaciclovir, Cetoconazol, Fluconazol, Miconazol, Nistatina.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Leave a Reply