Benzetacil

Benzetacil
Rate this post

Você sabe o que é o benzetacil? Trata-se de um medicamento injetável que muitos já ouviram falar, mas poucos sabem do que se trata. “Benzetacil” é o nome comercial usado para a veiculação duma substância conhecida por especialistas como benzilpenicilina benzatina. Como o nome já acusa, é um tipo de penicilina, isto é, um antibiótico, muito forte, diga-se de passagem, utilizado para o tratamento de infecções e doenças causados por organismos como bactérias.

O uso desse fármaco não é dos mais confortáveis. Por ter uma concentração muito alta da substância mencionada acima, o medicamento é denso e tem uma característica pastosa. Detalhe que o benzetacil é um medicamento aplicado de maneira intramuscular, e esse caráter pastoso dificulta a entrada do fármaco na corrente sanguínea. Devido a isso, a injeção desse medicamento provoca desconfortos intensos que podem durar de algumas horas até dias inteiros.

O principal problema na aplicação desse medicamento é o local em que deve ser injetado: nas glúteos ou na região lateral da coxa (no caso de bebês de até 2 anos de idade), porção mais flácida do corpo, com mais gordura e menos músculos.

Digo isso porque não só a aplicação do medicamento dói devido à sua alta concentração de penicilina, mas também pelo fato de que, no momento da injeção, o paciente não poder sequer contrair os glúteos, pois isso pode quebrar a agulha, provocando uma dor ainda maior e fazendo com que a aplicação tenha que ser repetida.

É por conta disso que essa aplicação só deve ser feita por profissionais com a devida orientação: de maneira lenta e contínua, evitando o entupimento da agulha e procurando reduzir ao máximo a dor do paciente, variando o local de aplicação se necessário. Trata-se de um processo extremamente delicado e que pode até causar maiores danos ao corpo se feito por alguém despreparado.

 

Para que serve?

 

Porém, há um motivo por trás de toda essa dor: o benzetacil é um medicamento muito eficiente contra uma série de infecções bacterianas, como amigdalite, faringite, laringite, doenças renais e reumáticas, infecções no aparelho respiratório, sífilis etc. Por conta de sua alta eficiência, o benzetacil é apenas utilizados em casos muito graves, quando a infecção já está em estágio avançado e pode contaminar partes saudáveis do corpo.

Além de ter uma eficiência ótima no combate a esse tipo de infecção no corpo, o benzetacil também é utilizado por conta de sua rápida ação no organismo. Essa ação é quase que imediata, dificilmente superando a casa das 48 horas e eliminando a infecção, via de regra, em curtos períodos de tempo. Em algumas horas, por exemplo, a ação do benzetacil faz uma palpável diferença no combate a enfermidades de leves a médias, como a amigdalite. No caso de infecções mais graves, como a sífilis (que não tem cura), é possível produzir um considerável alívio nos sintomas e até mesmo reduzir o avanço da doença.

 

Bula

 

Por ser um medicamento tão forte e potente, a dosagem e a aplicação do benzetacil só podem ser feitas em ambientes médicos controlados. O uso dessa medicação ocorre apenas em casos mais graves, e geralmente é o próprio médico que aplica o fármaco no consultório ou no pronto atendimento, a depender do caso.

O benzetacil, vale destacar, é um antibiótico, então sua prescrição só pode ser feita mediante escrutínio médico. O comércio de antibióticos é fortemente controlado no Brasil, e só pode ser realizado com a retenção de receita pelo profissional farmacológico.

A bula do benzetacil indica a concentração do componente benzilpenicilina benzatina no fármaco, a posologia conforme consenso médico e, ainda, os principais efeitos colaterais de seu uso. Porém, a posologia específica é apenas o médico quem vai determinar conforme as particulares do caso concreto. É importante não arriscar se automedicar com benzetacil, não só pela potência do medicamento, mas devido à dificuldade e demais riscos na aplicação que mencionamos anteriormente.

Além disso, vale lembrar que o uso de benzetacil é restrito aos casos mais graves, nos quais a infecção já se espalhou consideravelmente e precisa ser inibida com toda a celeridade. Na maioria dos casos, todavia, o tratamento pode ser feito com antibióticos mais fracos.

Esse medicamento é de uso controlado, sendo comercializado em drogarias e farmácias mediante retenção da receita pelo profissional de saúde. Seu preço varia de 7 a 14 reais. Contudo, é mais normal a aplicação ser paga e feita dentro do próprio hospital ou clínica. Como vimos, sua aplicação é extremamente complicada e arriscada, sendo que é melhor não passar por esse perrengue sem a ajuda de um profissional qualificado.

 

Além disso, há também algumas contraindicações para o uso do fármaco. A principal é que pacientes com alergia a penicilina não devem usar o benzetacil. A fórmula, por óbvio, deve ser consultada antes do uso do medicamento, para verificar se o paciente não sofre de hipersensibilidade em relação a qualquer um dos componentes presentes no benzetacil, que incluem citrato de sódio, povidona, edetato dissódico, propilparabeno, metilparabeno, metabissulfito desódio e água para injetáveis. O uso do medicamento também não é indicado para mulheres grávidas ou lactantes, a não ser em casos de suma gravidade. Por fim, o benzetacil não pode ser misturado com o consumo de bebidas alcoólicas porque aumenta o efeito do álcool no fígado, enfraquecendo o órgão.

 

Efeitos colaterais

Quando discutimos os efeitos colaterais do benzetacil, o primeiro e principal que vem a mente são as dores. Sim, o uso desse remédio provoca dores intensas, especialmente no momento de sua aplicação. Porém, essa dor transcende esse momento e perdura por períodos longos, em média por 24 horas após a injeção.

Contudo, existem ainda outros possíveis efeitos colaterais para o uso desse remédio, listados na bula do mesmo. Não é incomum a ocorrência de efeitos colaterais negativos pós-aplicação como náuseas, enjoos, diarreias, enxaquecas, vômito e outras complicações no sistema gastrointestinal. Também é possível a manifestação de sintomas como sapinho e candidíase, retenção de líquidos, reações cutâneas como coceira, erupções, urticária, vermelhidão, queda da pressão arterial e até mesmo laringite.

 

 

Leave a Reply