Como tratar as micoses nas unhas dos pés e das mãos

Como tratar as micoses nas unhas dos pés e das mãos
Rate this post

As micoses são micro-organismos invisíveis a olho nu, mas que podem contaminar qualquer lugar no corpo, principalmente as unhas dos pés e das mãos.

Eles se aproveitam de ambientes úmidos e quentes para se reproduzirem, principalmente quem frequenta clubes, piscinas e praias descalço, está mais propenso a contaminar-se com as micoses presentes ali.

Se existirem lesões mesmo que pequenas, entre a unha e a pele, os fungos conseguem entrar por baixo dela, e se alojarem para ali começarem um processo infeccioso.

As micoses possuem tratamento?

Para todos os tipos de micoses, existem medicamentos específicos, de uso tópico, aplicável diretamente na região afetada pela infecção, como pomadas, cremes e sprays, e também os de uso oral, como medicamentos em comprimidos ou líquidos.

O tratamento é único em cada paciente, e somente o médico irá avaliaras opções e a gravidade do problema.

Princípios ativos mais recomendados nos casos de micoses

-Cloridrato de terbinafrina:esse medicamento combate diretamente o fungo causador da micose na unha e na pele. Nas farmácias, ele pode ser encontrado em forma de spray, comprimidos, gel e creme.

Na forma de comprimidos, ele pode causar alguns efeitos colaterais, como: dor de cabeça, diarreia, azia, dor de estômago, náuseas, sensibilidade do paladar alterada e falta de apetite.

Mulheres grávidas ou amamentando não podem utilizarem o produto sem recomendação médica, bem como pacientes que possuem insuficiência renal e insuficiência hepática grave.

-Itraconazol: é indicado para as seguintes micoses: aspergilose, criptococose, meningite criptocócica, histoplasmose, esporotricose, paracoccidioidomicose e blastomicose.

O especialista irá avaliar o tempo necessário para o tratamento desses tipos de micose, e acompanhar o crescimento da unha averiguando o seu progresso.

As contra-indicações, são para pacientes sensíveis ao Itraconazol, grávidas, lactantes, com insuficiência cardíaca congestiva ou com histórico de problemas cardíacos na família.

-Griseofulvina:ele está disponível nas farmácias apenas em comprimidos, e pode levar o nome de Fulcin ou Sporostatin.

Como um antifúngico poderoso, ele age contra o fungo, impedindo a sua proliferação. As micoses combatidas por esse medicamento, são: na pele, no couro cabeludo, nas unhas e nos pés.

Os efeitos colaterais sentidos pelos pacientes que utilizaram a griseofulvina, foram: dor no estômago, dor de cabeça, erupções na pele, tontura, cansaço, insônia, urticária, fadiga, náusea, diarreia e vômito.

Gestantes, lactantes, crianças com menos de dois anos, alérgicos a penicilina, pacientes com problemas no fígado e lúpus, não devem utilizarem o medicamento.

Basta ingerir uma dose única do medicamento (500 mg) após as refeições, ou divididas duas doses de 250 mg de doze em doze horas.

-Fluconazol:a ação anti-fúngica do medicamento é semelhante aos triazólicos, combatendo as infecções do fungo cândida (candidíase vaginal ou de orofaringe). Pode ser administrado em comprimidos de 150 mg, como também na forma intravenosa, em casos mais complexos.

Os efeitos colaterais sentidos, são principalmente náuseas, diarreia e dor abdominal. Gestantes, lactantes ou alérgicos a qualquer componente da fórmula, não devem usar o medicamento.

Tratamento com laser para micose

Este tipo de tratamento, é chamado de terapia fotodinâmica, onde é utilizado o corante azul de metileno, que ao ser aquecido pelo laser vermelho, elimina de forma eficaz os fungos e a proliferação deles.

O tempo das sessões podem variar, entre uma a três sessões por semana (dependendo do caso), levando de um a três meses no total para a recuperação das unhas.

O tratamento adequado e no tempo certo, evita que os fungos voltem a se multiplicar na unha, ou na pele, por isso é tão importante seguir com os cuidados prescritos pelo médico até o final do processo.

A incidência de fungos e bactérias nos pés e entre os dedos, são maiores porque a região não é tão bem irrigada por vasos sanguíneos, o que dificulta o processo do corpo de combater a infecção ou a proliferação desses micro-organismos.

Conheça alguns fatores que, são responsáveis por ajudar a desencadear os fungos nas unhas das mãos e dos pés:

-Pessoas que tenham diabetes (circulação do sangue comprometida, bem como a capacidade do sistema imunológico);

-Idosos;

-Pessoas que são portadoras do vírus HIV;

-Uso de drogas ilícitas;

-Baixa resistência do corpo por qualquer razão;

-Histórico familiar de onicomicose (fungos nas unhas);

-Problemas de circulação nos membros inferiores do corpo;

-Psoríase (escamação da pele, devido a reprodução rápida das células em qualquer parte do corpo, podendo causar dor, vermelhidão, prurido e abscesso);

-Atletas – pois ficam muito tempo com calçados e meias, impedindo a respiração da pele dos pés e ambiente propício para fungos.

Geralmente, as micoses nas unhas são assintomáticas, mas é importante observar alguns detalhes externos, que podem determinar a presença de fungos:

-Unhas espessas (grossas);

-Quebradiça;

-Alterações da forma da unha;

-Unha opaca, sem brilho;

-Coloração escurecida ou amarelada;

-Descolamento da unha (dando a impressão de que ela vai cair);

Estudos e pesquisas realizadas com os principais medicamentos para a micose, apontaram que os de via oral como o Terbinafrina e o Itraconazol, são mais eficazes, do que outras apresentadas no mercado farmacológico.

Cada organismo reage de uma forma, diante de um medicamento via oral ou de uso tópico. Por isso, observe atentamente a coloração das unhas, se estão quebradiças, opacas e se está melhorando com o tratamento.

É recomendado que para evitar a reinfecção por fungos, não se compartilhem objetos pessoais, como toalhas, chinelos e roupas, bem como andar descalço em locais públicos, e deixar os pés limpos e secos.

Quem possui criação de animais em casa, como cachorros, gatos, coelhos e galinhas, devem observar se há fungos ou parasitas em seus pelos, patas e ambientes onde vivem, pois pode ser o foco da infecção fúngica.

Para tal, é necessário procurar um veterinário, para que ele prescreva a melhor medicação para os fungos em animais, evitando que eles se espalhem, e contaminem objetos e as pessoas que moram na casa.

Os recipientes de água e comida dos animais, devem estar sempre limpos, secos e distantes de entulho, lixo e acúmulo de objetos, para que esses não atraiam roedores, aranhas, escorpiões e cobras.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Leave a Reply