Herpes genital: prevenção, sintomas e tratamento

Herpes genital: prevenção, sintomas e tratamento
Rate this post

O herpes genital é uma doença sexualmente transmissível (DST) que afeta a pele e as membranas mucosas dos genitais e é mais comum em mulheres do que em homens.

Como se pega herpes genital?

 

O vírus é transmitido de uma pessoa infectada que não apresenta sintomas para outra durante a relação sexual, seja vaginal, anal ou oral, porque o vírus é encontrado no fluido da bolha e na pele. Uma vez que uma pessoa é infectada, o vírus permanece no corpo nas células nervosas, para sempre.

Tipos de herpes

A forma genital não é a única forma dessa doença se manifestar. Existem dois tipos de vírus de contágio conhecidos como herpes simplex (HSV):

HSV-1 (vírus Herpes simplex tipo I). Frequentemente afeta a boca e os lábios e causa aftas ou bolhas febris. No entanto, ele pode ser transmitido da boca para os genitais durante o sexo oral.

HSV-2 (Herpes Simplex Vírus tipo II). É o tipo de vírus que quase sempre causa herpes genital. Pode ser transmitido através do contato com a pele ou através de fluidos orais (secreções) ou genitais. Infecções genitais causadas pelo HSV-2 são mais comuns em mulheres do que em homens.

Qual é a relação entre herpes genital e herpes oral?

O herpes oral ou herpes labial gera feridas na boca ou ao redor da boca geralmente é causado pelo vírus herpes simplex tipo 1 (HSV-1). A maioria das pessoas é infectada pelo HSV-1 durante a infância por meio de contato não sexual. Por exemplo, com o beijo de uma pessoa que tem herpes oral.

O HSV-1 também pode se espalhar da boca para os genitais através do sexo oral. Esta é a razão pela qual alguns casos de herpes genital são causados ​​pelo HSV-1.

Sintomas – como saber se eu tenho herpes genital?

 

A maioria das pessoas que têm herpes não apresenta sintomas ou, se tiver, eles são muito leves. O vírus pode ser mais grave em recém-nascidos ou em pessoas com um sistema imunológico enfraquecido. O primeiro surto ocorre geralmente entre dois dias e duas semanas após a infecção.

Os sintomas genitais incluem o aparecimento de pequenas bolhas dolorosas, cheias de líquido claro. Elas geralmente são encontradas na genitália externa, isto é, na vagina, colo do útero, pênis, escroto, ao redor do ânus e nas coxas ou nádegas. Também é possível que elas apareçam na língua, boca, olhos, lábios, dedos e outras partes do corpo.

Antes que as bolhas apareçam, formigamento, queimação, coceira ou dor podem sentidos no local onde as bolhas aparecerão. Quando as bolhas se rompem, elas deixam úlceras superficiais que são muito dolorosas. Estas úlceras cria uma crosta e cicatrizam lentamente ao longo de sete a catorze dias ou mais.

Outros sintomas que podem surgir:

Dor e dificuldade em urinar

Corrimento vaginal

Sintomas semelhantes aos da gripe, como febre, dores musculares, mal-estar, diminuição do apetite e inchaço dos gânglios linfáticos inguinais.

Com o tempo os surtos geralmente duram menos e são menos severos que o primeiro. Eles são mais frequentes durante o primeiro ano, mas com o passar dos anos, o número de surtos tende a diminuir.

O padrão desses sintomas varia muito de uma pessoa para outra:

Algumas pessoas carregam o vírus apesar de nunca terem sintomas.

Outras podem ter um único surto ou surtos infrequentes.

Algumas pessoas têm surtos regulares que ocorrem a cada 1 a 4 semanas.

Tratamento do herpes genital

Não há cura para o herpes genital. O vírus pode permanecer adormecido por um longo tempo e pode reativar em qualquer momento, como resultado de estresse físico ou emocional, menstruação ou doença.

Medicamentos antivirais (como o Aciclovir e o Valaciclovir) podem aliviar os sintomas durante a manifestação, ajudar a curar as úlceras mais rapidamente, reduzir os surtos e diminuir o risco de infecção. Eles são mais eficazes na primeira aparição dos sintomas. Existem duas formas de tratamento:

No surto agudo, o tratamento deve ser realizado aproximadamente por 7 a 10 dias, assim que os primeiros sintomas aparecerem como formigamento, ardor, coceira, aparecimento das bolhas.

As pessoas que têm muitos surtos podem tomar diariamente para evitar ou encurtar a duração. Eles também reduzem a probabilidade de transmissão entre casais.

Os efeitos colaterais dos antivirais são muito poucos ou inexistentes. Se houver podem ser fadiga, dor de cabeça, náuseas e vômitos, entre outros.

Prevenção do herpes genital

 

Faça o uso correto de preservativos masculinos ou femininos pode reduzir, mas não eliminar, o risco de contrair ou disseminar herpes. Os preservativos são a melhor maneira de proteger contra a propagação do herpes genital, mesmo que eles não protejam completamente. Além disso, apenas conservantes de látex ou poliuretano previnem a infecção.

Se tocar nas feridas ou tocar no líquido, pode passar o herpes para outras partes do corpo, para os olhos, por isso lave bem as mãos com água e sabão para evitar a infecção.

Não faça sexo vaginal, anal ou oral quando tiver bolhas nos órgãos genitais, no ânus ou na boca.

Não beije ou pratique sexo oral quando houver bolhas nos lábios ou dentro da boca.

Não compartilhe toalhas, escovas de dente ou batons.

Certifique-se de que os pratos e talheres que você usa estejam bem lavados.

Considere o uso de medicamentos antivirais diariamente para limitar a transmissão viral.

Medidas para prevenir surtos

Tome medicamentos antivirais todos os dias.

Adotar medidas para manter o sistema imunológico saudável, como comer alimentos saudáveis, dormir bem e controlar o estresse.

Proteja-se do sol, usando protetor solar nos lábios.

Proteja-se do vento, frio e calor extremos.

Cuidado pessoal quando houver uma manifestação da enfermidade:

Tome analgésico-anti-inflamatórios, como paracetamol, ibuprofeno ou ácido acetilsalicílico para aliviar a dor.

Aplique compressas frias nas feridas várias vezes ao dia para aliviar a dor e a coceira.

Urina em pé para evitar dor ao urinar.

Lave delicadamente as feridas com sabão e água. Depois seque com pequenos toques.

Não coloque ataduras nas feridas. O ar acelera a cura.

Não descasque as feridas. Elas podem se infectar e isso atrasa a cura.

Não use pomada ou loção nas feridas a menos que seu médico recomende.

Use roupas íntimas de algodão soltas. Não use meias ou roupas íntimas de nylon ou outras fibras sintéticas.

Não use calças apertadas.

Leave a Reply