Trombose – o que é? sintomas?

Trombose – o que é? sintomas?
Rate this post

 

Diversas pessoas não conhecem ou não sabem o que é a trombose. E pelo fato de se mostrarem desconhecedoras dessa doença, a sua detecção se faz mais difícil.

Acontece que a trombose é uma doença que ocorre de forma mais natural, atingindo um grande número de pessoas e que muitas delas nem sabem que sofrem desse mal. Geralmente, ataca as pessoas idosas e as mulheres, mas os homens também não estão livres dela. Para todo mal, todo cuidado a ser tomado ainda será pouco e com a trombose, o risco iminente de morte faz com que a pessoa leve a doença mais a sério.

Provavelmente você, ao ler este texto, deve ter alguém em mente que sofra dessa doença. Pois saiba que isso é bem comum e é preciso que haja um cuidado com a pessoa que sofre desse mal, pois ela acaba ficando com certas limitações.

E é por isso que este texto está sendo elaborado, justamente para ajudar você a ter um conhecimento maior sobre a trombose, o que ele faz com o organismo, quais os cuidados tomar e como é feito o tratamento.

Fique por aqui e entenda um pouco mais sobre esse terrível doença.

O que é a Trombose?

De nome médico Trombose Venosa Profunda (TVP), a trombose é um coágulo sanguíneo que se forma no organismo. Geralmente tem o hábito de se formar em uma ou mais veias profundas, que ficam localizadas na parte de baixo das pernas e dos braços, causando dor e inchaço.

Sempre que o corpo se fere, normalmente ele cria um coágulo de sangue, a fim de que possa acabar com o sangramento. Quando esse coágulo se forma dentro dos vasos sanguíneos, acontece um bloqueio da circulação do sangue, o que faz com que ele não consiga retornar ao coração. Isso faz com que haja um inchaço na parte em que foi afetada, gerando dor nas pernas ou nos braços.

Geralmente a trombose acontece em pessoas que têm varizes, que passam muito tempo sentadas ou deitadas.

Quais são os sintomas da trombose?

Uma informação que é preocupante é que, na metade dos casos em que a trombose foi estudada, ela não apresentou nenhum sintoma. E justamente por isso, é importante observar os seguintes sintomas abaixo. Caso esteja sentindo algum deles, procure um médico o que antes.

  • Dor nas pernas – sendo o sintoma mais comum apresentado, logo a perna apresenta inchaço, fica vermelha. A panturrilha é a região da perna que é mais afetada;
  • No local onde tem um coágulo, a pessoa sente uma queimação forte;
  • A região onde o coágulo se encontra apresenta uma mudança de cor, geralmente ela fica azulada ou avermelhada;
  • Há um surgimento de inchaço na região em que o coágulo se encontra.

O que pode causar a trombose?

Existem diversos motivos que podem causar a trombose. A pressão alta, o excesso de peso, o sedentarismo, o fumo, a gravidez, o estresse, o diabetes, traumatismos, algumas intervenções cirúrgicas e até a utilização de pílulas anticoncepcionais podem ser fatores que favoreçam o surgimento da trombose.

O grande problema da trombose é quando o coágulo se solta, e fica circulando pela corrente sanguínea. Esse processo, chamado de embolia, pode ficar preso no cérebro, nos pulmões, no coração ou em qualquer outra área, podendo trazer diversas lesões graves à pessoa, podendo levá-la a óbito.

Quais são os tipos de tromboses existentes?

Hoje em dia, existem dois tipos de trombose conhecidos: a trombose venosa e a trombose arterial.

A trombose venosa é aquela que ocorre quando um coágulo se desenvolve na veia. Em sua maioria, a ocorrência se dá nos membros inferiores, na perna esquerda, com o restante dela atingindo outras partes do corpo, como a pelve, a região do abdômen, a torácica, o pescoço e a cabeça.

Já a trombose arterial, o coágulo do sangue já se desenvolve na artéria. Uma vez que ela ocorra nas artérias que irrigam o miocárdio, que é o tecido que reveste o coração, isso poderá fazer com que a pessoa sofra um ataque cardíaco. Ela também pode acontecer na circulação cerebral, o que faz com que ocorra um AVC, acidente vascular cerebral, ou diminuir a oxigenação para outros órgãos do corpo.

Como diagnosticar a trombose?

Quando você começar a desconfiar de alguns sintomas, o primeiro passo é ir ao médico ter uma consulta. Nela, o doutor irá fazer algumas perguntas, justamente para conhecer o seu histórico e até mesmo se membros da sua família já tiveram trombose.

Será receitado para você realizar alguns exames físicos. Acontece que, à primeira vista, é muito difícil ter a certeza do que o paciente tem. Mas, para que a reposta possa ser encontrada, os seguintes exames podem solicitados:

Ultrassonografia – pois através de um exame de imagem seja possível verificar se há coágulos de sangue em alguma região;

Exame de sangue – é solicitado para que sejam verificadas as substâncias que estão presentes na corrente sanguínea, que facilitam a formação de coágulos;

Venografia – exame em que há uma injeção de um corante que ajuda a localizar onde estão os coágulos. É o exame menos utilizado, pois é considerado invasivo;

Tomografia computadorizada e/ou ressonância magnética – outros dois exames que são bastante utilizados, justamente porque permitem, com nitidez, verificar os vasos sanguíneos, identificando com mais facilidade os coágulos. São mais utilizados nos casos em que ocorre a embolia pulmonar.

Qual é o tratamento para a trombose?

Existe tratamento para a trombose. Ele consiste em deixar a pessoa em repouso absoluto, ficando com o membro que estiver acometido para cima. Além disso, um remédio anticoagulante é receitado. No começo, a utilização do medicamento se dará de forma injetável, sendo substituído, assim que possível, por um medicamento oral.

Outra forma de tratamento é utilizando os trombolíticos, que são utilizando quando os anticoagulantes não apresentam um resultado satisfatório, ou então, quando o paciente apresenta complicações durante o tratamento. Geralmente, este tipo de tratamento dura cerca de 7 dias, com o paciente ficando internando durante todo o período.

Por um, caso nenhum dos dois tratamentos acima funcione, o paciente será submetido à cirurgia, onde o coágulo é retirado dos vasos sanguíneos, ou então, é colocado um filtro na veia cava interior. Assim, os coágulos não conseguirão alcançar os pulmões, evitando o surgimento de uma embolia pulmonar.

Leave a Reply