Tudo sobre a colite

Tudo sobre a colite
Rate this post

Sentir dores na região do abdômen é algo corriqueiro, e que afeta tanto homens como mulheres. Algumas vezes, o acúmulo de gases provoca o incômodo na região.

Em outros casos é a menstruação quem provoca essas dores, que passam rapidamente e requerem apenas o uso de analgésicos simples. Ou apenas o repouso já é o suficiente para resolver o problema.

Mas, em outros casos, a dor se torna tão frequente que pode ser o indício de que algo mais sério está acontecendo, e uma das causadoras mais comuns é a colite.

Você já ouviu falar nessa doença? Sabe do que se trata, quais seus sintomas e como tratá-la? Não? Então esse texto é para você. Aqui contamos tudo o que você precisa saber para lidar com o problema.

O que é a colite?

A colite é uma doença inflamatória, que pode atingir uma ou mais camadas do cólon, uma região do intestino grosso, provocando disfunções no seu funcionamento.

Aliás, qualquer variação no funcionamento dessa estrutura pode ser considerada um tipo de colite, e provoca sintomas sérios, além de variar sua intensidade.

Quais os tipos de colite?

Assim como todas as doenças, a colite possui diferentes tipos, com sintomas variados. Conheça cada uma delas.

Colite ulcerativa

É tipo de colite mais comum e acontece quando o sistema imunológico de uma pessoa ataca as bactérias do trato digestivo.

Considerada uma doença crônica, quem é diagnosticado com esse tipo de colite lida com períodos onde a enfermidade é aguda com outros de remissão, onde os sintomas são poucos ou quase não existem.

Quem sofre com a colite ulcerativa costuma apresentar inflamações e ulcerações que vão do início do reto até a camada mais superficial do cólon, além de ter constantes diarreias e dores abdominais.

Colite isquêmica

Essa doença acontece quando o fluxo sanguíneo que vai para o cólon é cortado ou restringido, e é provocada por coágulos de sangue.

A colite isquêmica pode ser provocada por aterosclerose na região do cólon ou outra doenças como a vasculite, hérnia, diabetes, câncer de cólon, desidratação ou ser provocada pelo uso de alguns medicamentos.

Essa doença acontece com mais frequência do lado esquerdo do cólon e causam diarreia, dores abdominais e sangramento intestinal.

Colite provocada por infecção viral

Aqui, a doença é provocada por um vírus que se instala na região do cólon e pode ser contraída através de relações sexuais sem o uso de preservativo, transfusões de sangue ou o contato com saliva, urina e gotículas respiratórias.

Enterocolite

Essa doença é provocada por infecções bacterianas ou virais, por medicamentos ou intoxicação alimentar, e pode afetar o intestino grosso ou o delgado.

Quem sofre com a enterocolite pode apresentar diarreia, dores abdominais e febre, além de náuseas e vômitos.

Colite pseudomembranosa

Essa doença é provocada por um desequilíbrio entre as bactérias boas e ruins que habitam o intestino. Neste caso, o uso de antibióticos ou outros remédios podem matar as bactérias boas, provocando infecções.

Na colite pseudomembranosa, o paciente pode apresentar diarreia e placas esbranquiçadas no interior do cólon.

Colite nervosa

Chamada também de síndrome do intestino irritável, é provocada por uma dieta pobre em fibras ou, ainda, provocada por estresse elevado. Considerada uma doença crônica, ela pode piorar de acordo com a alimentação e também durante o período menstrual.

Colite microscópica

Um dos tipos mais raros de colite, a causa é autoimune, e causa como sintomas uma diarreia aquosa, mas sem sangue.

Doença de Crohn

Enfermidade crônica, a doença de Crohn afeta principalmente a parte inferior do intestino delgado e do intestino grosso, podem atingir todo o sistema digestivo.

Com causa desconhecida e sem cura, a doença de Crohn pode ser controlada, e tem como sintomas diarreia, dor abdominal, febre, fraqueza e perda de peso. Ela é muito mais frequente em pessoas com idade entre 20 e 30 anos.

Colite alérgica em crianças

Esse tipo de doença pode afetar crianças com menos de um ano, provocada por uma alergia ao leite de vaca ou de soja. Ela é mais comum em crianças que ainda são amamentadas com leite materno.

Colite hemorrágica

Provocada por uma bactéria, nessa doença a pessoa sofre com uma diarreia sanguinolenta e dor abdominal intensa.

O que pode causar a colite?

Os fatores que causam a colite variam de acordo com o tipo da doença, embora em muitos casos ela seja desconhecida. No entanto, existem algumas causas possíveis.

Por exemplo, infecções agudas e crônicas, provocadas por vírus e parasitas; intoxicação alimentar causada por bactérias; síndrome do intestino irritável; baixa circulação sanguínea e radiação passada para o intestino grosso.

Como a colite pode ser transmitida?

Em geral, a colite não é transmissível. Isso só acontece quando ela é causada por infecções virais.

Nestes casos, o vírus causador da doença pode ser transmitido por relações sexuais, transfusões de sangue, saliva, fezes, leite materno, urina e gotículas vindas das vidas respiratórias.

Quem pode ter colite?

A colite é uma doença, digamos, democrática, e pode afetar tanto homens quanto mulheres. No entanto, ela é mais comum em pessoas entre os 15 e 35 anos, ou, ainda, entre os 60 e 80 anos.

Além disso, o fator genético pode facilitar o aparecimento da doença, assim como fatores ambientais, como a poluição do ar e algumas dietas. Fatores emocionais, como o estresse e desequilíbrios emocionais contribuem para piorar a situação.

Quais os sintomas da colite?

Na colite, os sintomas variam de acordo com a extensão do problema ou do local atingindo.

No entanto, as pessoas que sofrem com a doença podem apresentar os seguintes sintomas: dilatação abdominal, dor abdominal constante ou recorrente, fezes com sangue, calafrios, necessidade constante de evacuar, desidratação, diarreia, febre e aumento da flatulência.

Como a colite é tratada?

Embora seu tratamento varie de acordo com o tipo de colite diagnosticada, essas medidas envolvem uma boa alimentação, com a inclusão de probióticos , a ingestão de muita água e o uso de medicamentos, que combatem as dores e amenizam os sintomas.

Caso essas medidas não tragam melhora, pode ser necessária a realização de uma cirurgia, para combater a doença.

Leave a Reply