Vigorexia: descubra o que é e como é feito o tratamento dessa disfunção

Vigorexia: descubra o que é e como é feito o tratamento dessa disfunção
Rate this post

Quantas vezes você viu pessoas malhadas com corpos extremamente trabalhados serem consideradas sinônimo de beleza? Muitas, não é. Assim, é comum que aqueles que veem esse padrão de beleza queiram também ter. O problema é que com o desejo por um corpo perfeito diversas pessoas podem se cobra demais até o ponto de desenvolver a vigorexia.

O que é vigorexia?

A Vigorexia, também denominada como Síndrome de Adônis ou em termo científico Transtorno Dismórfico Muscular (TDM), trata de uma enfermidade psicológica que é caracterizada por uma enorme insatisfação com a forma física.

Essa disfunção faz com que a pessoa fique dependente de atividades físicas e completamente obcecadas em conseguir desenvolver músculos, o que pode até resultar em quadros depressivos.

Esse distúrbio, geralmente, afeta mais os homens que praticando exercícios para conseguir o corpo ideal, mais acabam passando dos limites, mas têm mulheres que também apresentam essa disfunção.

A vigorexia é uma desordem psicológica bastante parecida com a anorexia, pela preocupação excessiva com a forma física.

Causas da vigorexia

A Vigorexia é um transtorno principalmente psicológico, no qual o indivíduo tem por objetivo conquistar um determinado formato de corpo que é exageradamente musculoso para ser aceito pela sociedade. Entretanto, existem indícios que a doença tenha causas genéticas, porém essa situação é mais rara.

Sintomas da Vigorexia

O sintoma que mais caracteriza a Vigorexia é o fato de uma pessoa ter uma imagem distorcida do próprio corpo, mas há outros aspectos que levam a um diagnostico desse transtorno como:

Treino para desenvolvimento de musculo de maneira excessiva

Preocupação excessiva com o próprio corpo

Uso desmedido de anabolizantes.

Restrição de alimentos.

Falta de apetite.

 

Fadiga.

Irritabilidade.

Depressão

Insônias

Uso excessivo de suplementos.

Uso de automedicação

Excesso de cirurgias plásticas

Baixa autoestima

Cansaço persistente

Detalhes que não são vistos pela maioria das pessoas, para o individuo que está tendo uma Vigorexia é um grande defeito. Por esta razão, ter uma enorme ansiedade em corrigir, gerando uma obcecação por uma aparência perfeita.

Quem pode identificar a doença?

No geral, há não um individuo que tenha a responsabilidade de constatar que algo não vai bem com o com portador do distúrbio. O que comumente ocorre é alguém próximo que percebe os sintomas do transtorno conforme o indivíduo descreve o próprio corpo de maneira diferente da realidade que aparenta.

Outro modo que também se reconhece que individuo tem vigorexia é quando alguém faz exercícios físicos com frequência, a ponto de abandonar outras atividades da sua vida que seriam importantes para ficar com forma física ideal.

É por essa razão que todos deveriam aprendam a identificar quando alguém próximo apresenta os sintomas da vigorexia. Quanto mais rápido for descoberto a doença e o tratamento for iniciado, maiores serão as possibilidades de cura.

Consequências da Vigorexia

A busca sem limites pelo corpo perfeito resultantes da vigorexia faz com a pessoa tenha a uma mudança grandiosa nos hábitos alimentares. Com isso, o individuo que tem a doença para de ingerir alimentos imprescindíveis para que organismo funcione bem.

Outra consequência que a enfermidade acarreta é a baixa autoestima e a dificuldade da pessoa conseguir se socializar. Para aqueles que sofrem de vigorexia, a única coisa que importa é o próprio o corpo, desse modo deixam de se importar com o mundo exterior, passam a se isolar e fazer dos treinos o único objetivo de vida.

Nos casos de mais gravidade, o individuo com vigorexia passa a fazer exercícios pesados e sem nenhum descanso, começa a realizar cirurgias plásticas abusivamente e tudo isso leva a complicações no futuro para mente, mas principalmente pelo corpo.

É bastante comum que haja uma sobrecarga de treinamento que acabe prejudicando músculos, ossos e articulações, às vezes de forma irreversível. Se a pessoa consumir anabolizantes regularmente e por longos períodos, ela pode sofrer sérios danos no fígado e rins, desenvolver hipertensão e até mesmo aumenta o risco de sofrer um ataque cardíaco. O consumo de esteroides também tem sido associado a problemas de infertilidade e ao surgimento de ideias suicidas.

 

Além disso, muitas vezes os portadores do transtorno também reduzem o número de horas de trabalho ou estudo e acabam tendo problemas nessas áreas. Como resultado, é comum que a pessoa se sinta cada vez mais solitária e a depressão não demore a aparecer, aproximadamente 58% das pessoas afetadas pela vigorexia também relatam sintomas depressivos.

 

Como tratar a vigorexia?

O tratamento da Vigorexia é feito principalmente através de acompanhamento com psicólogo ou psiquiatra, em alguns casos. Esse o profissional ajuda o portador da disfunção a se aceitar e voltar a ter autoestima.

Através de terapia, se busca que o individuo tenha controle dos pensamentos recorrentes sobre o corpo e trabalhar a confusão dos sentimentos e ainda são explorado as causas que produzem o distúrbio.

Além disso, outra ajuda que o individuo recebe é de um nutricionista que faz as recomendações para que ele possa seguir uma dieta saudável e adequada para o perfil físico dele.

Em situações que a pessoa esteja com alguma lesão causada pela realização abusiva de treinos, um fisioterapeuta também faz um acompanhamento para restabelecer o paciente.

 

Mulheres e a Vigorexia

Por ser uma doença relacionada a vaidade, a vigorexia ocorre, como já dito, principalmente em homens que desejam a qualquer custo ter músculos perfeitos, mas, a enfermidade também afeta mulheres embora em menor escala.

Há diversos elementos que influenciam no desenvolvimento da vigorexia nelas como fatores emocionais, socioeconômicos e psicológicos. Por esta razão, não se trata de um transtorno somente masculino.

A vigorexia feminina é uma desordem que gira em torno de uma prática desordenada de esportes, do transtorno alimentar e da perda da vida social e profissional da mulher.

O caso das mulheres é particular e difere do dos homens, no sentido de que pode não haver tal ânsia em adquirir massa muscular, embora isso também possa ocorrer. É comum que as mulheres tenham um transtorno alimentar mais elevado do que os homens, uma vez que geralmente está relacionada à anorexia e à bulimia.

Leave a Reply