ūü•á Vaginismo: Sintomas, causas e tratamento eficaz ūü§Ē

Rate this post

Voc√™ sabia que o vaginismo √© uma das disfun√ß√Ķes do assoalho p√©lvico que melhor responde a tratamento com percentuais pr√≥ximos a 100%? Que por isso, nem medica√ß√£o nem cirurgia s√£o necess√°rias? Entender o que √© o vaginismo √© fundamental para tratar.

O que é o vaginismo?

O vaginismo √© uma das raz√Ķes que podem causar dor nas rela√ß√Ķes sexuais, tamb√©m conhecida como dispareunia. √Č um movimento involunt√°rio e inconsciente dos m√ļsculos do pavimento p√©lvico de todo a contra√ß√£o da vagina, os m√ļsculos pubococcygeus, fazendo com que um fecho total ou parcial do mesmo e cause dor, ardor ou dor durante a rela√ß√£o sexual, quando se tenta inserir um tamp√£o ou antes uma explora√ß√£o ginecol√≥gica tamb√©m.

Tipos de vaginismo

Quando uma mulher nunca foi capaz de ter rela√ß√Ķes sexuais sem dor, causada pela contra√ß√£o dos m√ļsculos do assoalho p√©lvico que rodeiam a vagina, esse √© um tipo de vaginismo chamado vaginismo prim√°rio.

No entanto, há outros casos em que as mulheres têm levado uma vida sexual normal e satisfatória, mas alguns eventos traumáticos físicos ou mentais em algum momento de sua vida, como o parto, estupro, cirurgia ou apenas mudanças hormonais, como os ocorrem na menopausa, causam um espasmo muscular no assoalho pélvico que passa a ser chamado de vaginismo secundário.

Sintomas do vaginismo

Os sintomas do vaginismo variam dependendo da intensidade da contra√ß√£o dos m√ļsculos do assoalho p√©lvico e podem variar desde uma leve sensa√ß√£o de queima√ß√£o at√© um fechamento total da abertura da vagina.

A contração involuntária ou espasmo muscular pode ocorrer durante todo o ato sexual ou aparecer subitamente durante a relação sexual. Os principais sinais que caracterizam esse problema:

РTensão muscular ardente, coceira e vaginal durante a relação sexual.

РDor, em maior ou menor grau, que pode dificultar ou mesmo impossibilitar a penetração.

– Desconforto persistente com o sexo.

РDor sexual contínua de origem desconhecida.

– Dificuldade ou total incapacidade de inserir um tamp√£o vaginal.

РDificuldade em realizar um exame ginecológico.

– Possibilidade de inser√ß√£o de tamp√Ķes ou realiza√ß√£o de exame ginecol√≥gico, mas incapacidade de penetra√ß√£o sexual.

– Possibilidade de penetra√ß√£o sexual, mas incapacidade de sentir um orgasmo devido √† sensa√ß√£o de desconforto ou dor ou medo de um espasmo s√ļbito.

Como funciona o vaginismo

Normalmente a origem do vaginismo é uma combinação de causas físicas e psicológicas que fazem o corpo a reagir de repente para a antecipação de um momento de dor, involuntariamente e quase reflexivo, o que gera confusão na mulher que sofre, porque muitas, às vezes ela não entende porque isso acontece.

Quando o corpo antecipa um momento de dor, a rea√ß√£o inconsciente √© a contra√ß√£o de seus m√ļsculos. Assim, antes de um golpe ou quando voc√™ v√™ que algo vai cair sobre voc√™, a rea√ß√£o imediata do seu corpo √© contrair os m√ļsculos do bra√ßo, pernas, pesco√ßo, p√°lpebras, etc. tentando evitar esse golpe que produzir√° dor.

Da mesma forma, se o corpo associa sexo com dor, ansiedade ou desconforto f√≠sico ou mental, com a antecipa√ß√£o daquele momento desagrad√°vel a rea√ß√£o ser√° de contrair os m√ļsculos da vagina fechando e tentando evitar o que far√° levar√° ao o desconforto como a penetra√ß√£o.

Isso cria um c√≠rculo vicioso, ou seja, o corpo antecipa a sensa√ß√£o ruim e contraem os m√ļsculos do assoalho p√©lvico, essa contra√ß√£o gera mais sintomas negativos, o corpo resiste ao sexo, essa resist√™ncia leva √† frustra√ß√£o e ansiedade que pode vir inibir o desejo …

O sexo se torna cada vez mais doloroso, desconfortável ou desagradável e o corpo reforça e intensifica a resposta reflexa de contração da vagina buscando se defender dos danos e resistindo por todos os meios físicos e psíquicos disponíveis para enfrentar esse momento.

Como funciona o vaginismo

Entre as causas psicológicas do vaginismo, é possível mencionar:

  • – Qualquer tipo de medo: a dor, engravidar, n√£o estar √† altura do parceiro, a rejei√ß√£o.
  • – Ansiedade ou estresse: experi√™ncias negativas anteriores, traumas emocionais, negatividade em rela√ß√£o ao sexo.
  • – Problemas de casal: desconfian√ßa, desapego.
  • – Trauma: devido a abuso sexual ou viol√™ncia de g√™nero sofrida pelo mesmo paciente ou em seu ambiente imediato.
  • – Experi√™ncias repressivas no ambiente familiar ou religioso.
  • – Educa√ß√£o sexual inadequada que negativou o sexo.
  • Entre as causas f√≠sicas do vaginismo, podemos encontrar:
  • – Entrega, especialmente se tiver sido dolorosa e dif√≠cil, cesarianas, abortos, episiotomias, etc.
  • – Altera√ß√Ķes hormonais e menopausa.
  • – Falta de lubrifica√ß√£o ou estimula√ß√£o pontual.
  • – Uma cirurgia p√©lvica
  • – Casos de estupro, abuso ou ataques f√≠sicos ou sexuais.
  • – O uso de alguns medicamentos.

Tratamento do vaginismo

H√° uma grande import√Ęncia de fisioterapeutas e psic√≥logos na coordena√ß√£o do tratamento de algumas disfun√ß√Ķes do assoalho p√©lvico e vaginismo devido √† combina√ß√£o de causas f√≠sicas e psicol√≥gicas, √© uma doen√ßa que √© frequentemente curado com a atua√ß√£o de ambas as especialidades.

O tratamento geralmente tenta estabelecer uma s√©rie de habilidades e reeducar os m√ļsculos do assoalho p√©lvico para que eles respondam de maneira controlada e positiva aos est√≠mulos sexuais.

O foco principal do tratamento combina:

  • – Terapia apropriada para encontrar as raz√Ķes ps√≠quicas e emocionais por que essa pessoa associa o sexo a uma experi√™ncia negativa.
  • – Reeduca√ß√£o na anatomia e exerc√≠cios para definir os m√ļsculos do assoalho p√©lvico em isolamento.
  • – T√©cnicas de contra√ß√£o-relaxamento dos m√ļsculos do assoalho p√©lvico como a respira√ß√£o diafragm√°tica e outras.
  • – T√©cnicas de inser√ß√£o e dilata√ß√£o gradual, geralmente com a ajuda de dilatadores vaginais. Os dilatadores vaginais desempenham um papel muito importante no desaparecimento dos sintomas e serve para completar o tratamento na privacidade da pr√≥pria casa da mulher.
  • – Envolvimento do casal.
  • – Continuidade do tratamento na casa da mulher para que desenvolva, no seu ritmo, as habilidades e t√©cnicas de relaxamento e controle sobre os m√ļsculos do assoalho p√©lvico.

Em suma, a informa√ß√£o e a identifica√ß√£o das causas e raz√Ķes que causam esta doen√ßa s√£o fundamentais saber, primeiro, para o tratamento ser aplicado e saber que os resultados s√£o t√£o podem ser permanentes. A recupera√ß√£o da mulher geralmente, ocorre em alguns meses, ent√£o quanto antes se iniciar melhor.

Leave a Reply